Aguarde...

Prestem atenção, muita atenção à esse texto!

Data da publicação: 15/06/2020

Tem uma frase que eu costumo falar para mim mesmo que é a seguinte:

"Ninguém é de ferro e até o aço se dobra!"

Vivemos em um mundo dinâmico onde cada vez mais somos exigidos, julgados e pré-julgados pelas pessoas que nos cercam. A cada instante somos bombardeados por novas notícias, novas situações e preocupações e tomam conta de nossos pensamentos. 

Somos obrigados a ser fortes, competitivos, simpáticos, elegantes, inteligentes, sociáveis, ter um bom emprego, um bom casamento e bons relacionamentos. Desde pequenos somos condicionados à tudo isso. Somos condicionados a viver e interagir em uma sociedade pré- moldada que talvez não nos agrade e pela força da maioria, se não nos agrada, somos convidados a sair. Assim vamos vivendo, sem nos darmos conta de nós mesmos, de nossa própria pessoa e vamos vivendo uma rotina de modo automático, como se fôssemos máquinas.

Passamos por cima de nossos sentimentos e emoções de modo inconsciente, simplesmente por não prestar atenção à eles, por não dar prioridade à nossa própria pessoa, mesmo porque temos coisas mais importantes a fazer não é mesmo?

Homem que é homem não chora. Mulher que é mulher tem que ser forte, independente, empoderada... Menino gosta da cor azul e menina gosta da cor rosa e assim por diante!

Pois é meus caros amigos, assim vamos vivendo aguentando pressões, engolindo o choro, engolindo sapos, passando por cima de emoções e sentimentos que mais cedo ou mais tarde vão nos incomodar.

E nos incomodam de tal forma, com tamanha força que sem saber adoecemos. Vamos ficando mais tristes, mais intolerantes, mais pensativos e vamos mudando a imagem que temos de nós mesmos. Começamos a nos perguntar a razão, o sentido das coisas. Começamos a ter consciência de que não temos consciência de nós mesmos. Afinal, para que estamos aqui? Para que tudo isso?

É aí que o bicho pega!

Sentimentos como raiva, melancolia e medo vão trazendo sintomas de doenças psicossomáticas como depressão, ansiedade, transtornos alimentares, compulsões sexuais, entre outros. Todos esses sentimentos e sintomas que até então eram desconhecidos, agora se apresentam de forma repentina, como se fosse um tapa na cara da gente e por consequência enfraquecemos, fraquejamos e adoecemos.

Não deixe isso acontecer com você. Procure ajuda! Lembre-se que a maior preciosidade que você tem é você mesmo!

Cuide de sua saúde! Cuide de sua saúde mental!

Afinal, ninguém é de ferro...


André Lucio Nicoli

CRP 06/80821   

Publicado por:

André Lucio Nicoli

Formação Acadêmica: Brás Cubas

Ver Perfil

André Lucio Nicoli

15/06/2020

Prestem atenção, muita atenção à esse texto!

1 Curtida(s)


Tem uma frase que eu costumo falar para mim mesmo que é a seguinte:

"Ninguém é de ferro e até o aço se dobra!"

Vivemos em um mundo dinâmico onde cada vez mais somos exigidos, julgados e pré-julgados pelas pessoas que nos cercam. A cada instante somos bombardeados por novas notícias, novas situações e preocupações e tomam conta de nossos pensamentos. 

Somos obrigados a ser fortes, competitivos, simpáticos, elegantes, inteligentes, sociáveis, ter um bom emprego, um bom casamento e bons relacionamentos. Desde pequenos somos condicionados à tudo isso. Somos condicionados a viver e interagir em uma sociedade pré- moldada que talvez não nos agrade e pela força da maioria, se não nos agrada, somos convidados a sair. Assim vamos vivendo, sem nos darmos conta de nós mesmos, de nossa própria pessoa e vamos vivendo uma rotina de modo automático, como se fôssemos máquinas.

Passamos por cima de nossos sentimentos e emoções de modo inconsciente, simplesmente por não prestar atenção à eles, por não dar prioridade à nossa própria pessoa, mesmo porque temos coisas mais importantes a fazer não é mesmo?

Homem que é homem não chora. Mulher que é mulher tem que ser forte, independente, empoderada... Menino gosta da cor azul e menina gosta da cor rosa e assim por diante!

Pois é meus caros amigos, assim vamos vivendo aguentando pressões, engolindo o choro, engolindo sapos, passando por cima de emoções e sentimentos que mais cedo ou mais tarde vão nos incomodar.

E nos incomodam de tal forma, com tamanha força que sem saber adoecemos. Vamos ficando mais tristes, mais intolerantes, mais pensativos e vamos mudando a imagem que temos de nós mesmos. Começamos a nos perguntar a razão, o sentido das coisas. Começamos a ter consciência de que não temos consciência de nós mesmos. Afinal, para que estamos aqui? Para que tudo isso?

É aí que o bicho pega!

Sentimentos como raiva, melancolia e medo vão trazendo sintomas de doenças psicossomáticas como depressão, ansiedade, transtornos alimentares, compulsões sexuais, entre outros. Todos esses sentimentos e sintomas que até então eram desconhecidos, agora se apresentam de forma repentina, como se fosse um tapa na cara da gente e por consequência enfraquecemos, fraquejamos e adoecemos.

Não deixe isso acontecer com você. Procure ajuda! Lembre-se que a maior preciosidade que você tem é você mesmo!

Cuide de sua saúde! Cuide de sua saúde mental!

Afinal, ninguém é de ferro...


André Lucio Nicoli

CRP 06/80821   

Curtir essa publicação:

1 Curtida(s)

Compartilhe essa Publicação!

1 Curtida(s)

0 Comentário(s)


Curtir

Comentar

Compartilhar


Por favor escreva um comentário

Comente esta publicação!

Atenção: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br ou procure atendimento em um hospital mais próximo.